Publicidade

Compostagem doméstica: o que é e como fazer em casa

A compostagem doméstica é o processo de reciclagem dos materiais orgânicos que seriam descartados. A princípio, podemos pensar que é um processo trabalhoso e que deve ser realizado somente em grandes hortas e na agricultura.

Mas se engana quem pensa assim: a compostagem pode ser feita em casa de um jeito simples e eficaz em que você gera adubo para suas plantas e sua hortinha. O que difere a compostagem tradicional da doméstica é o tamanho e a quantidade de materiais que serão utilizados. 

Acompanhe conosco e conheça como é o processo de compostagem familiar e aprenda a fazer na sua casa!

O que é a compostagem doméstica?

A compostagem doméstica é uma prática que tem crescido em popularidade nas últimas décadas, impulsionada pela crescente consciência ambiental e pela procura de formas mais sustentáveis de eliminação de resíduos orgânicos. 

Somente no Brasil são descartados cerca de 80 milhões de toneladas de resíduos orgânicos no ambiente, por isso a necessidade crescente de um processo mais sustentável de eliminação dos resíduos. 

Com isso, a compostagem feita em casa é um processo de decomposição controlada de resíduos orgânicos, transformando-os em adubo orgânico rico em nutrientes. 

Esses resíduos orgânicos podem incluir cascas de frutas, cascas de vegetais, restos de comida, borra de café, folhas secas, aparas de grama e outros materiais biodegradáveis. 

O chorume criado com a decomposição de alimentos, é rico em fósforo, um nutriente importante para as plantas, o que permite manter cultivos mais sustentáveis e que não agridem o meio ambiente como a adubação química. 

O fertilizante natural ainda é valioso e pode ser usado para enriquecer o solo do jardim, vasos de plantas e hortas.

Quais são os desafios e obstáculos?

A falta de conscientização e educação sobre a compostagem é uma grande barreira à participação dos cidadãos. Muitas pessoas não estão familiarizadas com este conceito ou não compreendem totalmente os benefícios a ele associados. 

Para enfrentar este desafio, é importante aumentar a sensibilização do público para a compostagem e fornecer informações claras sobre como esta contribui para a sustentabilidade ambiental e a gestão de resíduos.

Boa manutenção

A compostagem exige cuidados constantes, o que pode desanimar os iniciantes. Para resolver este problema, é importante dar conselhos claros sobre como cuidar e manter a pilha de compostagem. 

Além disso, aumentar a conscientização sobre os benefícios da compostagem a longo prazo  pode motivar as pessoas a manter a prática no longo prazo.

Tempo necessário

O fato de  a compostagem não produzir resultados imediatos pode desanimar algumas pessoas. No entanto, destacar os benefícios a longo prazo, como a melhoria do solo e a redução de resíduos, pode ajudar a superar este obstáculo.

 Regras e regulamentos locais

As regulamentações locais que afetam a compostagem, como a restrição da compostagem de resíduos alimentares a recipientes exteriores, podem constituir uma barreira. 

Para ultrapassar esta situação, é necessário respeitar os regulamentos e coordenar ativamente com as autoridades locais para encontrar soluções alternativas, como a compostagem doméstica ou a recolha seletiva de resíduos.

 Clima

Em áreas com invernos rigorosos, as condições climáticas podem retardar a compostagem ao ar livre. Uma alternativa é a compostagem interna, como a vermicompostagem, adequada para todas as estações e climas.

Por que fazer compostagem em casa?

Fazer a compostagem em casa é auxiliar o meio ambiente. Isso porque, 50% de todo o lixo gerado nas casas é de material orgânico e esses vão para os lixões e aterros, causando a emissão de gases efeito estufa, como o carbono e o metano, e contaminando o solo e as águas com o chorume não tratado.

Nas grandes cidades, locais que fazem a compostagem também são escassos, o que aumenta mais a necessidade de realizar esse processo em casa. O produto gerado além de ser benéfico para suas plantas, pode ser vendido e assim ainda gerar uma renda extra. 

Esse processo então é uma alternativa simples de reduzir a geração de resíduos caseiros, mas é necessário ter alguns cuidados com a composteira para evitar problemas como mau cheiro e aparecimento de animais e insetos indesejados. 

Quais os tipos de compostagem doméstica?

A compostagem doméstica é um método altamente versátil, oferecendo uma variedade de abordagens e métodos para transformar resíduos orgânicos num recurso valioso e sustentável. Confira abaixo quais são as técnicas mais comuns de compostagem doméstica.

Compostagem em pilha

Esta abordagem se destaca pela sua simplicidade. Os resíduos orgânicos são empilhados em camadas  de material verde rico em nitrogênio (por exemplo, cascas de frutas e vegetais) e materiais marrons ricos em carbono (por ex. folhas secas ou serragem). Virar a pilha regularmente promoverá a aeração e a decomposição eficaz do material.

Composto em uma caixa ou recipiente

Neste método, os resíduos orgânicos são colocados em uma caixa ou recipiente especialmente projetado  para compostagem. Essa abordagem proporciona melhor controle de temperatura e  umidade, e muitas caixas possuem sistemas de ventilação que auxiliam na ventilação, acelerando o processo de decomposição. 

Vermicomposto

A vermicompostagem envolve a utilização de minhocas, geralmente da espécie Eisenia foetida, para acelerar a decomposição dos resíduos orgânicos. As minhocas são mestres em transformar resíduos em fertilizante orgânico de alta qualidade, ao mesmo tempo que criam um líquido rico em nutrientes chamado vermicomposto. Essa técnica é especialmente indicada para espaços pequenos, como apartamentos, e pode ser feita em ambientes internos. 

Compostagem de Camadas

Este método requer cavar uma trincheira no solo para conter os resíduos orgânicos. A cobertura do solo promove a decomposição e infiltração de nutrientes no solo, melhorando assim a fertilidade do solo. 

Compostagem quente

Também conhecida como compostagem aeróbica acelerada, esta técnica envolve a manutenção de altas temperaturas e aeração contínua. Embora este seja um método eficaz de acelerar o processo de decomposição, requer atenção e gerenciamento mais cuidadosos para manter as condições ideais. 

Bokashi

A técnica Bokashi é uma forma de compostagem anaeróbica que utiliza efetivamente microrganismos para fermentar resíduos orgânicos em um tanque especial. Esta é uma opção adequada para espaços pequenos e não cria odores desagradáveis. Além disso, o líquido resultante, denominado “suco de Bokashi”, é um excelente fertilizante.

Cada um desses métodos de compostagem tem suas próprias vantagens e é escolhido com base nas preferências e recursos individuais. Compreender as nuances e os princípios por trás de cada técnica é essencial para garantir uma compostagem bem-sucedida e eficiente.

Como fazer compostagem em casa?

Se você quer começar a fazer a compostagem em casa, o próximo passo é aprender como fazer uma composteira. De forma geral, confira algumas dicas sobre a compostagem antes de começar a fazer a sua.

Materiais balanceados

Para que a compostagem seja bem-sucedida, é importante equilibrar o material úmido (restos de alimentos, restos de frutas e vegetais) com o material seco (folhas secas, palha, papel picado). Isso permite que uma proporção precisa de carbono e nitrogênio, conhecida como relação C/N, seja alcançada.

Aeração

A compostagem é um processo aeróbio que requer oxigênio para os microrganismos desempenharem seu papel de decomposição. Por isso, é importante revirar a pilha de compostagem ou misturar os materiais periodicamente para garantir uma boa circulação de ar. Isso evita que a pilha fique compactada e anaeróbica, o que pode causar odores desagradáveis e retardar o processo de decomposição.

Umidade adequada

A água é essencial para a atividade microbiana durante o processo de compostagem. Mantenha a pilha úmida, mas não encharcada. A umidade adequada costuma ser comparada à umidade de uma esponja bem torcida. Se a pilha estiver muito seca, a decomposição será mais lenta. Se estiver muito úmido, pode haver problemas com odores e ventilação insuficiente.

Evite resíduos não biodegradáveis

É importante evitar adicionar resíduos não biodegradáveis à pilha de compostagem. Isto inclui produtos de origem animal (como carne e laticínios), resíduos de petróleo, cinzas de carvão e materiais processados quimicamente (como produtos químicos domésticos tóxicos). Esses materiais podem interferir no processo de compostagem e criar compostos indesejados.

Como montar a sua composteira doméstica?

  1. Recipiente para Compostagem: você pode usar uma composteira de jardim, uma caixa de compostagem ou até mesmo um recipiente improvisado, como um tambor ou caixas de madeira;
  2. Resíduos Orgânicos: coletar resíduos orgânicos é a chave para a compostagem. Isso inclui cascas de frutas, restos de vegetais, folhas, grama cortada, borra de café, casca de ovos, entre outros. Evite adicionar produtos de origem animal, como carne e laticínios, pois podem atrair pragas;
  3. Resíduos “Verdes” e “Marrons”: separe os resíduos em duas categorias. Resíduos “verdes”, ricos em nitrogênio, incluem restos de comida e grama cortada. Resíduos “marrons”, ricos em carbono, incluem folhas secas, papelão, serragem e galhos picados;
  4. Água: a compostagem requer um nível adequado de umidade, portanto, tenha água à mão para manter a pilha úmida, mas não encharcada;
  5. Aeração: para acelerar o processo de decomposição, você precisará virar a pilha de compostagem regularmente. Você pode usar um garfo de jardim ou uma pá.
Passo a Passo
  1. Escolha um local: você pode usar um compostor de jardim, uma caixa de compostagem ou até mesmo um recipiente caseiro, como um barril ou caixote de madeira;
  2. Monte a Composteira: se você estiver usando uma composteira de jardim ou uma caixa de compostagem, siga as instruções do fabricante para montá-la. Se estiver improvisando com caixas de madeira ou um tambor, certifique-se de que o recipiente tenha aberturas para ventilação e drenagem no fundo;
  3. Coloque a terra com as minhocas na caixa superior: o ideal para a composteira doméstica é utilizar dois recipientes para drenar o material que for produzido. Assim, comece colocando uma caminha com terra e materiais úmidos onde ficarão as minhocas;
  4. Coloque os restos orgânicos: classifique os resíduos em dois tipos. Os resíduos “verdes”, ricos em nitrogênio, incluem restos de comida e plantas. Os resíduos “marrons” ricos em carbono incluem folhas secas, papelão, serragem e cortes. Com isso, adicione os resíduos em camadas;
  5. Deixe os resíduos descansarem: a compostagem requer umidade adequada, portanto, tenha água à mão para manter a pilha úmida, mas não encharcada;
  6. Troque a posição das caixas digestoras: vire a pilha de compostagem a cada poucas semanas para garantir que o ar chegue a todos os resíduos. Isso ajuda a acelerar a decomposição;
  7. Retire o adubo: a compostagem pode levar de alguns meses a um ano, dependendo das condições e do tamanho da sua caixa de compostagem. Continue adicionando resíduos conforme eles estiverem disponíveis. Quando o composto estiver pronto, ele terá uma aparência escura e um dor terroso. Você pode usá-lo para fertilizar o solo do seu jardim, canteiros de flores ou vasos de plantas.

O que colocar na compostagem doméstica?

A composteira aceita diversos materiais orgânicos, entre eles estão: restos de frutas, verduras, legumes e refeições; borra e filtro de papel de café; pães umedecidos; pequenos galhos, folhas e flores de jardim; cascas de ovo; grãos, sementes e caroços; sachês de chá, etc.

É importante lembrar que os resíduos devem estar em pequenos pedaços ou até triturados e em sua maioria devem ser de origem vegetal.

O que não devo colocar na compostagem?

Portanto, alimentos de origem animal não devem ser descartados na composteira doméstica. Entre eles estão: carnes, ossos, gorduras, óleos, laticínios, fezes, frios, entre outros. Sal e temperos também não são indicados para o descarte nas composteiras.

Quais são as vantagens da compostagem doméstica?

A compostagem doméstica oferece benefícios econômicos e ambientais significativos. Primeiro, poupa dinheiro tanto para os indivíduos, como para os governos. 

As famílias que fazem compostagem em casa podem reduzir os custos de recolha de resíduos e o custo de aquisição de fertilizante comercial, uma vez que o fertilizante orgânico produzido pode ser usado gratuitamente para melhorar jardins e plantas.

Já os governos locais podem poupar recursos na gestão de resíduos, tais como transporte para aterros e tratamento de resíduos, criando assim um impacto econômico positivo para a comunidade. 

Do ponto de vista ambiental, a compostagem doméstica desempenha um papel importante na redução do desperdício de recursos naturais e na mitigação das alterações climáticas. Evita que os resíduos orgânicos se decomponham em aterros, onde liberariam metano, um potente gás com efeito de estufa.

Ao reciclar resíduos orgânicos em composto, esse método reduz a necessidade de produção de fertilizantes químicos, que consomem energia e recursos não renováveis durante a produção. Esta abordagem ecológica também preserva a qualidade do solo, promovendo uma agricultura mais saudável e sustentável.

Cabe destacar que o principal objetivo da compostagem é criar um ciclo sustentável em que os resíduos sejam convertidos em algo útil. Aqui estão, de forma detalhada, algumas razões pelas quais a compostagem é importante:

  1. Reduzir o desperdício

A compostagem é uma forma eficaz de reduzir a quantidade de resíduos orgânicos enviados para aterros sanitários. Isto é importante porque os resíduos orgânicos constituem uma parcela significativa dos resíduos urbanos. A redução da quantidade de resíduos em aterros ajuda a prolongar a vida útil destas instalações e reduz a pressão sobre o ambiente;

  1. Nutrição do solo

Composto proveniente do processo de compostagem é um fertilizante natural rico em nutrientes como nitrogênio, fósforo e potássio. Esses nutrientes são essenciais para o crescimento saudável das plantas. Quando adicionados ao solo, melhoram a qualidade do solo, aumentam a capacidade de retenção de água e melhoram a saúde das plantas. Isso é benéfico para a agricultura, horticultura e horticultura;

  1. Reduzir as emissões de metano

Quando os resíduos orgânicos são enterrados em aterros, decompõem-se na ausência de oxigênio e produzem metano, um gás com efeito de estufa muito mais potente que o dióxido de carbono (CO2). A compostagem desvia esses resíduos orgânicos dos aterros, onde pode ocorrer decomposição anaeróbica, e permite que se decomponham  na presença de oxigênio. Isto ajuda a reduzir as emissões de metano, contribuindo assim para a mitigação das alterações climáticas;

  1. Fertilizante natural

O fertilizante produzido pela compostagem é fonte de nutrientes essenciais para as plantas, incluindo nitrogênio, fósforo, potássio e micronutrientes. Esses nutrientes estão prontamente disponíveis para as plantas, tornando-os um fertilizante natural muito eficaz para promover o crescimento e a produção saudável das plantas;

  1. Corte de custos

A compostagem pode economizar dinheiro de várias maneiras. Ao usar composto manufaturado, você reduz a necessidade de compra de fertilizantes comerciais, que podem ser caros. Além disso, a redução da quantidade de resíduos orgânicos enviados para aterros pode reduzir os custos associados à gestão de resíduos;

  1. Melhoria do solo

Além de fornecer nutrientes, o fertilizante orgânico proveniente da compostagem também melhora a estrutura do solo. Aumentam a capacidade de retenção de água do solo, melhoram a aeração e estimulam a atividade de microrganismos benéficos no solo. Isso cria um ambiente ideal para as plantas crescerem de forma saudável;

  1. Contribuição para o meio ambiente

A compostagem tem um impacto positivo significativo no meio ambiente. Isto ajuda a reduzir as emissões de carbono porque a digestão aeróbia produz menos metano, um gás com efeito de estufa mais potente, do que a digestão anaeróbia em aterros sanitários. Além disso, a compostagem também contribui para a conservação dos recursos naturais porque reduz a necessidade de exploração de recursos para a produção de fertilizantes químicos e reduz a pressão sobre os aterros, prolongando assim a sua vida útil.

Compostagem doméstica: uma atitude para o futuro

Fazendo a compostagem doméstica, você não só reduz a quantidade de resíduos enviados para aterros, mas também ajuda a criar um planeta mais saudável e sustentável, onde cada pequeno esforço conta. 

Com esse processo também é possível fazer um processo biológico essencial na gestão de resíduos orgânicos, desempenhando um papel fundamental na promoção da sustentabilidade ambiental. Compreender os seus benefícios, aplicar as técnicas certas e aplicar dicas avançadas pode transformar os resíduos num recurso valioso para o seu jardim.

Saiba como a compostagem pode transformar resíduos em recursos valiosos em nosso guia completo. Se você já se perguntou sobre os benefícios da compostagem e como ela pode se adequar perfeitamente ao seu estilo de vida, este e-book é a resposta. 

Falamos sobre tudo, desde a importância da compostagem até aos benefícios para o solo e para o  ambiente, dando-lhe conselhos passo a passo sobre como iniciar um depósito de compostagem em casa. Economize dinheiro, reduza o desperdício e contribua para um futuro mais sustentável.

Siga o Meio Sustentável:

Adicione o texto do seu título aqui

Publicidade

Notícias Mais Lidas

Publicidade

Noticias relacionadas

Vermicompostagem: o que é, quais as vantagens e como fazer

compostagem

Compostagem seca: o que é, benefícios e como fazer em casa

Compostagem doméstica: o que é e como fazer em casa

compostagem

Compostagem: o que é quais são os tipos e como começar

Marcas Responsáveis

Conheça empresas que levam a sustentabilidade no seu DNA

Marcas Responsáveis

Últimos conteúdos

Projetos que impactam

Funil urinário Pipizito e a acessibilidade urinária para mulheres

O Funil Urinário Pipizito traz praticidade e acessibilidade para mulheres, ideal para viagens, esportes e uso diário. Mais liberdade e
ESG, Negócios

O que é mercado livre de energia: saiba quais são os benefícios

Entenda o que é o mercado livre de energia e, mais importante ainda, como ele pode trazer benefícios tangíveis para
Sustentabilidade

COP 29: entenda o que é esse evento e qual é a sua importância

Sustentabilidade

O que é enchente: saiba quais são as principais causas e riscos

energia limpa
Energia Limpa

Energia limpa: o que é, quais são os tipos, vantagens e fontes

empreendedorismo verde
Tendência

Empreendedorismo verde: conheça quais são as características

Conheça quais são as características do empreendedorismo verde. E saiba como esses empreendedores estão moldando o futuro dos negócios!
ESG

Critérios ESG: descubra quais são e saiba como implementá-los

Eentenda os fatores ambientais, sociais e de governança que orientam práticas sustentáveis e saiba como aplicá-los na sua empresa.
Dióxido de carbono
Planeta

Emissão de carbono: o que é e qual seu impacto no mundo

A emissão de carbono representa o impacto no aquecimento global causado pela liberação de gases, como o dióxido de carbono